Pular para o conteúdo

Processo de reciclagem das bermudas Mescla

Tecidos sendo separados por cor
Tecidos sendo separados por cor. Fonte: Tecidos para reciclagem

Toda peça da Mescla tem sempre uma história por trás, da mais básica às gráficas. Já conhece o processo de reciclagem das nossas bermudas? Uma cadeia toda envolvida! 

O maior pólo têxtil da America do Sul é encontrado no bairro do Bom Retiro, em São Paulo capital. Lá, são dispensados cerca de 15 toneladas de retalhos têxteis por dia. Retalhos como estes, são reutilizados nas nossas coleções. No processo de reciclagem, os retalhos são separados por cor e mandados para a área de reciclagem dos tecidos onde são desfibrados, depois triturados para então voltar ao processo de tecelagem como fios de algodão.  As garrafas PET (poliéster) também são separadas por cor, trituradas e desfiadas. Após isso, entram no processo de tecelagem para dar mais estrutura e firmeza ao tecido.

A cada bermuda da Mescla, é utilizada cerca de 1m de tecido. Neste 1m, encontra-se 8 garrafas PET e 480g de algodão reciclado.

A reciclagem de garrafas PET é uma ação que contribui diretamente para a questão ambiental, evitando que uma grande quantidade de lixo seja descartada e reduzindo a exploração dos recursos naturais. Uma eficiente forma de reciclar esse material é por meio da transformação das garrafas em tecido. A indústria têxtil é a maior usuária de PET reciclado (25,7%). No Brasil, o PET reciclado tem a maior variedade de aplicações do mundo, porém  os dados do último censo indica que apenas 51% do PET produzido é reciclado.

A reciclagem ocorre em três etapas básicas: Recuperação, Revalorização e Transformação. No processo de transformação de reciclagem de garrafas PET, o plástico é transformado em fibras de poliéster, um material excelente para a produção de tecidos. Para isso, o primeiro passo é coletar uma grande quantidade de garrafas de plástico, que passarão por lavagem, moagem e secagem. Após essas três etapas, o PET terá se tornado um produto.

O PET passa por um processo então para eliminar resíduos sólidos. O produto é exposto a uma temperatura elevada, tornando-se uma pasta. Esta pasta, passa por uma bomba com saída que contém micro furos que vão separar o material em fibras, que por fim, são transformadas em fios (poliéster) para compor a estrutura dos tecidos. O algodão reciclado tem a fibra craquelado reflexo do uso e necessita do PET para compor um tecido de qualidade e mais estrutura para as roupas.

A alta qualidade do tecido conquista marcas e especialmente consumidores, que estão mais dispostos a consumir produtos de empresas ambientalmente responsáveis.

Benefícios sociais e econômicos

Apesar da indústria têxtil ser a maior usuária do insumo, somente no Brasil a diversidade de usos permite o valor pago pela sucata seja altamente atrativo o ano todo, o que mantém em atividades inúmeras empresas que comercializam o material, cooperativas e seus catadores, permitindo rentabilidade em patamares aceitáveis, garantindo então remuneração justa aos trabalhadores e a despeito da ausência de sistemas de coletas seletivas. Esta indústria no Brasil é economicamente viável sustentável e funcional. Um terço do faturamento de toda indústria brasileira do PET provém da reciclagem. Gera impostos, empregos, renda e os demais benefícios de uma indústria de base sólida. Seu crescimento anual constante, em média superior a 11% desde 2000, permite planejar novos investimentos incentivando a criação de novos usos para o PET reciclado.

Fonte: Abipet

Bermudas sustentáveis Mescla
Bermudas sustentáveis Mescla

The largest textile pole in South America is found in the district of Bom Retiro, in São Paulo, capital. About 15 tons of textile remnants are dispensed per day. Remnants like these, are reused in our collections. In the fabric production process, the remnants are separated by color and sent to the recycling area of the fabrics where they are defibered, then crushed and then returned to the weaving process as cotton yarn. PET bottles (polyester) also are separated by color, then defibered and crushed to then enter the weaving process to give more structure and firmness to the fabric.

 

To each shorts, about 1m of fabric is used. In this 1m, there are 8 PET bottles and 480g of cotton.

The recycling of PET bottles is an action that contributes directly to the environmental issue, avoiding that a great amount of garbage is discarded and reducing the exploitation of the natural resources. An efficient way to recycle this material is through the transformation of the bottles into fabric. The textile industry is the largest user of recycled PET (25.7%). In Brazil, recycled PET has the largest variety of applications in the world, but data from the latest census indicate that only 51% of PET produced  is recycled.

Recycling takes place in three basic steps: Recovery, Revitalization and Transformation.
In the recycling process of PET bottles, the plastic is transformed into polyester fibers, an excellent material for the production of fabrics. For this, the first step is to collect a large quantity of plastic bottles, which will go through washing, milling and drying. After these three steps, the PET will have become a product.

 The product is filtered to remove solid waste. The product is exposed to a high temperature, becoming a paste. This paste passes through a pump with an outlet that contains micro holes that will separate the material into fibers, which are finally transformed into yarns (polyester) to form the fabric structure. Recycled cotton has use cracked fiber and needs PET to make a quality and structural fabric for the clothes.

 

The high quality of the fabric conquers brands and especially consumers, who are more willing to consume products from environmentally responsible companies.
Social and economic benefits

 Although the textile industry is the largest user of the raw material, only in Brazil the diversity of uses allows the value paid by the scrap to be highly attractive all year round, which keeps countless companies that market the material, cooperatives and their collectors, allowing profitability at acceptable levels, thus guaranteeing fair compensation to workers, and despite the absence of selective collection systems. This industry in Brazil is economically viable, sustainable and functional. One-third of all Brazilian PET industry revenues comes from recycling. It generates taxes, jobs, income, and the other benefits of a solid industry. Its constant annual growth, on average of more than 11% since 2000, allows to plan new investments encouraging the creation of new uses for recycled PET.

 

Sobre

Assim como no Rio de Janeiro, o contraste entre o urbano e a natureza está presente em nós

General Bruce
São Cristóvão, Rio de Janeiro

+55 21 97537 2321 (temporariamente indisponível)
contato@emescla.com.br